Programação do 49º FSMF contempla 35 filmes nacionais e estrangeiros mais votados pelo público e crítica

04 abr 2023

De 6 a 26 de abril, o CineSesc  recebe a 49ª edição do Festival Sesc Melhores Filmes com a exibição dos principais lançamentos  do cinema em 2022. A programação contempla as 35 produções nacionais e estrangeiras mais votadas pelo público e pela crítica na escolha dos vencedores deste ano, que serão revelados nesta quarta-feira, dia 5, em cerimônia gratuita realizada no CineSesc, às 20h30. Todos estão convidados a comparecer no evento e conhecer os filmes e profissionais do cinema premiados nas 11 categorias do festival. Basta retirar o ingresso  no dia do evento, a partir das 19h, na bilheteria.  

Os ingressos para ver ou rever os filmes que compõem a programação também já estão disponíveis e podem ser adquiridos antecipadamente no site do CineSesc (acesse aqui ). No link, também é possível verificar as sessões que contam com recursos de acessibilidade (legendas descritivas, libras e audiodescrição). Nesta edição, 22 títulos serão exibidos com algum tipo de acessibilidade, reafirmando o compromisso do Sesc São Paulo com a inclusão nas salas de cinema.  

Cinema nacional 

A versatilidade dos títulos brasileiros que estão presentes no 49º FSMF é uma comprovação da excelente safra com que o público foi brindado nas salas de cinema em 2022, apesar das dificuldades pelo sucateamento de órgãos responsáveis pelo fomento do cinema nacional. De pronto, vale citar dois filmes com performances poderosas vindas de atrizes veteranas: “A Mãe”, de Cristiano Burlan, protagonizado por Marcélia Cartaxo, vencedora do prêmio Melhor Atriz no último Festival de Gramado, e “Pureza”, de Renato Barbieri, que traz Dira Paes à frente de uma história emocionante sobre esperança e resistência. O que ambos os filmes têm em comum é que narram a história de mulheres batalhadoras em busca de seus filhos desaparecidos.  

Outras atrizes que deram o nome e lideram um elenco de interpretações notáveis são Maeve Jinkings no provocativo “Carvão”, de Carolina Markowicz; Monique Alfradique e o seu timing cômico certeiro em “Bem-vinda a Quixeramobim”, de Halder Gomes; e a estreante Kika Sena, que encanta com o olhar tenro da personagem-título de “Paloma”, de Marcelo Gomes. Além do protagonismo feminino, outra linha que une essas três produções é a descentralização das histórias para o interior do Brasil, mostrando um país  plural, com diferentes sotaques, costumes e culturas.  

Ambientados em Minas Gerais e no Espírito Santo, respectivamente, “Marte Um”, de Gabriel Martins, e “Os Primeiros Soldados”, de Rodrigo de Oliveira, são outros dois títulos que também reforçam a imagem de um Brasil mais íntimo e profundo. No entanto, o elemento que aproxima esses dois belos exemplares do atual cinema brasileiro é o afeto. A genuinidade dos sentimentos compartilhados pelas duas famílias representadas, uma família de sangue e outra de luta, é de comover os corações mais duros.  

Dois grandes sucessos de bilheteria do cinema nacional no ano passado serão exibidos durante o festival. Um deles é “Eduardo e Mônica”, de René Sampaio, inspirado na canção homônima do Legião Urbana e estrelado pelos adoráveis Gabriel Leone e Alice Braga, que exibem boa química em cena. O outro título é a ficção científica de cunho político “Medida Provisória”, estreia do ator Lázaro Ramos como diretor de cinema. A trama é sobre um decreto do governo que determina que todos os cidadãos negros do Brasil retornem à África com a desculpa de estarem promovendo uma reparação histórica pelo passado escravocrata. Tal medida provisória desencadeia uma imediata e violenta perseguição às pessoas negras. No elenco, estão Alfred Enoch, Taís Araújo, Seu Jorge e Adriana Esteves. 

Quatro documentários completam a relação de títulos brasileiros na programação do festival. “Amigo Secreto”, de Maria Augusta Ramos, escancara o escândalo jurídico no processo da Lava Jato; “Brasil África – Um Elo Natural”, de Dener Giovanni, é um filme de caráter historiográfico que remonta semelhanças ambientais e sociais entre o Brasil e o continente africano; “Clarice Lispector – A Descoberta do Mundo”, de Taciana Oliveira, promove um retrato poético da obra da escritora; e “Segredos do Putumayo”, de Aurélio Michiles, retorna nos primeiros anos do século XX para denunciar a escravização e o assassinato de milhares de indígenas na coleta da borracha, na Amazônia.  

Para o público infantil, o 49º Festival Sesc Melhores Filmes reserva a faixa Cineclubinho, com a exibição de três produções infantojuvenis lançadas no cinema no ano passado. As sessões são sempre aos domingos, às 15h. No dia 9, será exibido “Pluft, o Fantasminha”, de Rosane Svartman; no dia 16, é a vez da animação modernista “Tarsilinha”, de Célia Catunda e Kiko Mistrorigo; e no dia 23, os pequenos e suas famílias vão poder se divertir com os famosos personagens do folclore brasileiro em “Além da Lenda – O Filme”, de Marília Mafé e Marcos França. 

Cinema Estrangeiro 

Na seleção dos filmes internacionais mais votados pelo público e crítica, constam vencedores do Oscar e produções premiadas nos mais badalados festivais de cinema do mundo, como Cannes e Berlim. Ampliar o leque de filmes oriundos de diferentes nacionalidades também foi um dos critérios dos programadores. Entre os destaques, estão “Um Herói”, de Asghar Farhadi (Irã); “Memória”, de Apichatpong Weerasethakul (Tailândia/Colômbia); “Má Sorte no Sexo ou Pornô Acidental”, de Radu Jude (Romênia); “Elvis”, de Baz Luhrmann (Austrália); “Aftersun”, de Charlotte Wells (Reino Unido); “Contratempos”, de Eric Gravel (França); e “Drive My Car”, de Ryûsuke Hamaguchi.  

O 49º FSMF também vai exibir duas das maiores bilheterias do cinema mundial em versão 3D na telona do CineSesc: “Avatar: O Caminho da Água”, de James Cameron, e “Pantera Negra: Wakanda para Sempre”, de Ryan Coogler. Aliado a este último, outros dois títulos que foram sucesso comercial e representantes do cinema negro internacional são a aventura histórica “A Mulher Rei”, de Gina Prince-Bythewood, e o terror sci-fi “Não! Não Olhe!”, de Jordan Peele.  

Os desempenhos irretocáveis de Kristen Stewart em “Spencer”, de Pablo Larraín, e Emma Thompson em “Boa Sorte, Leo Grande”, de Sophie Hyde, podem ser revistos no cinema, além da norueguesa Renate Reinsve, que conquistou o público com os conflitos pessoais – e universais – de sua protagonista em “A Pior Pessoa do Mundo”, de Joachim Trier. Por fim, o mais recente vencedor do Oscar com 7 estatuetas, “Tudo em Todo Lugar ao Mesmo Tempo”, de Daniel Kwan e Daniel Scheinert, retorna ao CineSesc com a sua mescla criativa de multiverso psicodélico e melodrama familiar. 

Sessão em 35mm 

Uma das maiores obras do cinema brasileiro contemporâneo, “O Som ao Redor”, de Kleber Mendonça Filho, comemora uma década de existência em 2023. Em celebração ao seu lançamento, o CineSesc promove uma sessão exclusiva do filme com cópia em 35mm e com a presença do diretor. A sessão será no dia 10 de abril, às 20h30. “O Som ao Redor” foi vencedor na categoria Melhor Filme Nacional pelo público e crítica na 40ª edição do Festival Sesc Melhores Filmes.   

Faixa Especial “Amor ao Cinema”  

Dentro da programação do Festival Sesc Melhores Filmes, o CineSesc exibe a faixa especial “Amor ao Cinema”, composta por cinco títulos de diferentes épocas e nacionalidades que dividem a mesma intenção: são verdadeiras cartas de amor para a sétima arte. Os filmes são “Cantando na Chuva” (1952), de Stanley Donen e Gene Kelly; o belíssimo clássico moderno japonês “Depois da Vida” (1998), de Hirokazu Kore-eda; o também asiático “Adeus, Dragon Inn” (2003), de Tsai Ming-liang; “Rebobine, Por Favor” (2008), de Michel Gondry; e o documentário nacional “Um Filme de Cinema”, de Walter Carvalho. 

Plataforma Sesc Digital 

A plataforma Sesc Digital também entra na celebração do 49º FSMF e disponibiliza para exibição gratuita, entre os dias 6 e 26 de abril, alguns dos principais lançamentos do cinema em 2022. Do cinema estrangeiro, estão “Um Herói”, “Contratempos” e “O Acontecimento”, de Audrey Diwan, inspirado no livro homônimo da escritora Annie Ernaux e vencedor do Leão de Ouro no Festival de Veneza. O documentário “5 Casas”, de Bruno Gularte Barreto, e a contagiante homenagem ao samba de “Curtas Jornadas Noite Adentro”, de Thiago B. Mendonça, são os representantes nacionais do festival na plataforma online. 

Vencedor de 4 Kikitos de Ouro no Festival Gramado, o filme “Carro Rei”, de Renata Pinheiro, ficará disponível para ser assistido no Sesc Digital excepcionalmente entre os dias 7 e 9 de abril. 

Para conferir a programação completa, clique aqui.  

carregando...