Cinema infantil brasileiro em alta na criatividade enquanto produções estrangeiras insistem em franquias

30 mar 2023

Com a popularidade dos canais de streaming, principalmente após o período de pandemia, é notável que os estúdios de cinema recalcularam a rota de lançamento de algumas superproduções. Certos filmes de apelo infantojuvenil e com potencial de bilheteria não tiveram o privilégio de serem exibidos nas telonas, frustrando a expectativa do público que gostaria de assistir, por exemplo, a animação indicada ao Oscar “Red – Crescer é uma Fera”, de Domee Shi, no escurinho do cinema. Ou então quem queria matar a saudade das bruxas atrapalhadas em “Abracadabra 2”, de Anne Fletcher, ou ver a Princesa Giselle entrar em parafuso na sequência “Desencantada”, de Adam Shankman. Ainda é cedo para afirmar se essa tendência veio para ficar, mas esse papo fica para um outro momento.

Neste artigo, a ideia é priorizar os títulos que chegaram aos cinemas em 2022, e consequentemente, estão indicados ao 49º Festival Sesc Melhores Filmes. Não é a intenção criar rivalidade entre as produções nacionais e estrangeiras de classificação livre, endereçados ao público infantil; porém, proporcionalmente, há uma discrepância entre as histórias originais e a repetição de fórmulas batidas ou personagens que já são conhecidos pelas crianças, como os de “Sing 2”, “Epa! Cadê o Noé? 2”, “Minions 2”, “Sonic 2”, “Lightyear”, “O Tesouro do Pequeno Nicolau”, entre outros.

Essa é mais uma observação: enquanto o cinema internacional optou pela comodidade ao investir em continuações, os filmes infantis brasileiros foram ousados e entregaram narrativas mais desafiadoras.

Não à toa, foram selecionados somente filmes infantis brasileiros para serem exibidos no CineClubinho, que integra a programação do 49º Festival Sesc Melhores Filmes. Como é de praxe, as sessões do CineClubinho serão exibidas aos domingos (dias 9, 16 e 23 de abril), às 15h. Os pequenos até 12 anos de idade não pagam ingresso. Os ingressos estarão disponíveis para venda em breve no site do CineSesc.

O filme que será exibido no domingo de Páscoa é “Pluft, o Fantasminha”, de Rosane Svartman. Baseada na icônica peça teatral de Maria Clara Machado, uma das maiores dramaturgas brasileiras do segmento infantil, a trama é centrada na improvável amizade entre Pluft, um fantasminha que tem medo de pessoas, e a garota Maribel, que foi sequestrada pelo temido pirata Perna de Pau. Pluft e Maribel se unem para derrotar o vilão, que está à procura de um baú de tesouro.

Cena do filme “Tarsilinha”, de Célia Catunda e Kiko Mistrorigo. Foto: Divulgação.

No dia 16, o CineClubinho exibe a animação “Tarsilinha”, de Célia Catunda e Kiko Mistrorigo. Como o título indica, a premissa de cunho educativo é apresentar a pintora modernista Tarsila do Amaral para as crianças. Os realizadores do filme mergulham no universo visual da artista enquanto narram a história de uma garota de 8 anos que embarca numa jornada fantástica para recuperar a memória de sua mãe. Embora o nome da personagem-título seja o mesmo da pintora, a animação não é uma cinebiografia, mas adiciona à sua premissa lúdica alguns elementos que compuseram a obra de Tarsila.

O lançamento de “Tarsilinha” no ano passado foi pontual pela comemoração do centenário da Semana de Arte Moderna de 1922, movimento que introduziu o Modernismo na arte brasileira e que tem em Tarsila do Amaral uma de suas principais representantes. Quem assina a trilha sonora de “Tarsilinha” é a dupla Zezinho Mutarelli e Zeca Baleiro, e os personagens contam com vozes das atrizes Alice Barion e Marisa Orth.

Para encerrar a faixa do CineClubinho na programação do 49º Festival Sesc Melhores Filmes, o CineSesc exibe no domingo do dia 23 o fantasioso “Além da Lenda – O Filme”, de Marília Mafé e Marcos França. “Além da Lenda” é o primeiro longa-metragem de animação produzido em Pernambuco, e é inspirado nos clássicos personagens do folclore brasileiro em releituras poéticas e contemporâneas.

Derivado de uma série de TV com 13 episódios, o filme busca apresentar de forma divertida ao público infantil as lendas nacionais, além de conscientizá-los sobre a nossa valiosa cultura. Um dos esforços, por exemplo, é naturalizar a substituição de se comemorar no dia 31 de outubro o Dia do Saci em vez do Halloween, o Dia das Bruxas em outros países.

O protagonista da história é Lucas, um garoto viciado em games e super-heróis que vai precisar estreitar um laço de amizade com alguns lendários personagens, como o Curupira, a Comadre Fulozinha e Negrinho do Pastoreio, para preservar um livro sagrado sobre o folclore brasileiro. No elenco de dubladores de “Além da Lenda – O Filme”, estão Hugo Bonemer, Gabriel Leone, Anderson Macário, Gabriela Melo, Alex Lima e Mônica Feijó.

Sucesso entre a garotada, em 2022, o público acompanhou as novas aventuras de Pippo, Bento e Sol em “Detetives do Prédio Azul 3 – Uma Aventura no Fim do Mundo”, de Mauro Lima. Na trama, o trio de amigos se reúne para salvar o zelador Severino, que está sob o encantamento de um medalhão mágico. Duas animações que foram lançadas no ano passado e também são adaptações cinematográficas de séries homônimas são “Meu Amigãozão – O Filme”, de Andrés Lieban, e “Tromba-Trem – O Filme”, de Zé Brandão, que integra a equipe criativa do famoso desenho animado “Irmão do Jorel”.

Cena do filme “Alice dos Anjos”, de Daniel Leite Almeida. Foto: Divulgação.

Mais uma comprovação do rico repertório do atual cinema infantil brasileiro é o musical “Alice dos Anjos”, de Daniel Leite Almeida. Ambientado no sertão nordestino, a história acompanha a jornada de Alice, uma menina esperta que, após correr atrás de um bode preto apressado, é transportada a um lugar mágico, cheio de personagens malucos. Ela se vê, então, no meio de uma guerra contra um influente coronel que quer destituir as terras de comunidades tradicionais para construir uma usina hidrelétrica.

À medida em que Alice se une aos seus amigos para lutar contra a opressão, ela se perceberá em uma jornada de autoconhecimento e consciência social. Segundo os realizadores do filme, “Alice dos Anjos” é musical infantojuvenil livremente inspirado em uma combinação de duas obras clássicas da literatura: “Alice no País das Maravilhas”, de Lewis Carroll, e “Pedagogia do Oprimido”, de Paulo Freire.


CINECLUBINHO – 49º FESTIVAL SESC MELHORES FILMES
Filmes: “Pluft , o Fantasminha” (dia 9) / “Tarsilinha” (dia 16) / “Além da Lenda – O Filme” (dia 23)
Local: CineSesc
Horário: 15h

*As sessões são gratuitas para crianças até 12 anos de idade.

carregando...